O regresso a um dos países mais fascinantes da história da música leva-nos em viagem através de várias épocas, da Idade Média à actualidade. Além dos agrupamentos residentes da Casa da Música, sobem ao palco convidados especiais de grande relevo internacional, como o pianista Pierre-Laurent Aimard, os maestros Sofi Jeannin e Hervé Niquet e o tenor Cyrille Dubois, além do Coro Nacional de Espanha. Dos programas constam obras marcantes como o Te Deum de Berlioz e Les Oiseaux Exotiques de Messiaen, entre muitas outras de figuras como Debussy, Ravel, Charpentier e Boulez. Não perca o início da residência do compositor Philippe Manoury com as primeiras três de várias obras que serão tocadas ao longo do ano em estreia nacional. O Serviço Educativo apresenta um novo espectáculo inspirado no escritor francês Júlio Verne que promete divertir toda a família. Esteja também atento à programação especial que será oportunamente anunciada para este programa de abertura do Ano França, e que se estende por vários géneros musicais.


A abertura oficial do País Tema apresenta obras sacras de dois compositores franceses incontornáveis. Escrita ainda na juventude de Messiaen, em 1932, a partitura de Hymne au Saint-Sacrement ficou perdida durante a 2ª Guerra Mundial e o compositor assumiu a tarefa hercúlea de a reconstruir de memória. A música monumental do Te Deum de Berlioz exige uma orquestra e um coro de proporções gigantescas, incluindo um órgão que compete praticamente de igual para igual com a exuberante orquestração. 

10 jan sex · 21:00 

Sala Suggia


Orquestra Sinfónica do Porto

Casa da Música

Coro Nacional de Espanha

Coro Infantil Casa da Música 


Baldur Brönnimann direcção musical 

Cyrille Dubois tenor 

Obras de Messiaen e Berlioz



11 jan sáb · 16:00 

Sala 2


Serviço Educativo


Mário Alves concepção e direcção artística 

Ópera Isto co-produção


A cabeça de Júlio Verne vai da Terra à Lua num piscar de olho. Percorre o fundo do mar num piscar de olho. Desce ao centro da terra num piscar de olho. A cabeça de Júlio Verne não pára de viajar e o seu olho esquerdo não pára de piscar. Preparados para apanhar boleia em mais uma incrível viagem de Júlio Verne? OK, mas atenção: olhos bem abertos! Um, dois, três – o olho esquerdo de Júlio Verne está pronto: partida!

O Remix Ensemble entra no Ano França com três gerações de compositores e um grande pianista daquele país. Uma das figuras maiores do século XX, Olivier Messiaen compôs várias obras inovadoras explorando material musical oriundo do canto dos pássaros. Em Les Oiseaux Exotiques, reúne cantos de pássaros americanos e asiáticos. O pianista Pierre-Laurent Aimard é um solista de referência desta obra favorita do grande público e com ela inaugura a sua residência artística na Casa da Música. 

11 jan sáb · 18:00 

Sala Suggia


Remix Ensemble Casa da Música

Peter Rundel direcção musical 

Pierre-Laurent Aimard piano 

Obras de Manoury, Bertrand 

e Messiaen



A trupe de grilos cantantes continua a acompanhar os mais pequenos nesta aventura em Paris. Grilis, o Grilo Feliz, tem no seu primo Jean-Philippe Galan (ou Grilan, o Grilo Galã) o cicerone de uma viagem pela cultura francesa, com vista para alguns dos ícones de Paris (Torre Eiffel, Palácio de Versalhes, Arco do Triunfo, Museu do Louvre) e direito a aulas de etiqueta e degustação de música gourmet. Pais e bebés, em animada interacção, desenvolvem a cultura geral, afinam as vozes e trabalham aspectos como a psicomotricidade ou a noção de tempo. 

12 jan dom · 18:00 

Sala de ensaio 2


10:30 (0-18meses)

11:45 (18 meses-3 anos)

15:00 (3-6 anos)


Bruno Estima e Paulo Neto

formadores



12 jan dom · 18:00 

Sala Suggia


Coro Casa da Música

Sofi Jeannin direcção musical 

Obras de Machaut, Janequin, Debussy, Poulenc, Manoury, Villette e Ravel


Ex-titular da Maîtrise do Coro da Radio France e actual titular dos BBC Singers, a prestigiada maestrina Sofi Jeannin regressa à Casa da Música para apresentar uma fascinante viagem pela história da música coral francesa. Do século XIV à actualidade, o programa inclui obras-chave dos períodos medieval e renascentista, com a música de Guillaume de Machaut e Clément Janequin. A poesia medieval do Duque Charles de Orleães dá o mote para canções compostas por Debussy – as únicas que escreveu para coro a cappella. 

O título Dialogues de l’ombre double é retirado da peça Le Soulier de Satin de Paul Claudel, drama que conta a história de um amor impossível e explora os diálogos entre personagens terrestres e celestiais. A obra, escrita em 1985 por Pierre Boulez, quando do sexagésimo aniversário de Luciano Berio, é apresentada na versão original para clarinete e fita magnética. 

14 jan ter · 19:30 

Sala 2


Victor Pereira clarinete

Worten Digitópia electrónica 


Obras de Grisey, Hugo Vasco Reis, João Pedro Oliveira e Boulez



18 jan sáb · 18:00 

Sala Suggia


Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música Baldur Brönnimann direcção musical 

Obras de Boulez, Debussy e Manoury


Repleto de sensualidade, colorido e poder de sugestão, o Prélude à l’après-midi d’un faune de Debussy, baseado em versos de Mallarmé, tem atraído públicos de sucessivas gerações desde a sua estreia em 1894. Este programa ilustra fases diversas da trajectória musical francesa desde então, com obras de três dos compositores mais incontornáveis nesse percurso. De Pierre Boulez ouvir-se-á o Rituel escrito na década de 1970 em memória de Bruno Maderna, compositor e maestro que dividiu com Boulez o protagonismo na célebre e influente Escola de Darmstadt. 

18 jan sáb · 22:00

Sala 2


A noite prossegue com a apresentação do terceiro disco dos Sensible Soccers, Aurora, um álbum optimista produzido por B Fachada, e termina com o electropop de Zombie Zombie, que vem de um percurso iniciado em 2007 com A Land for Renegades, na altura considerado um dos 10 álbuns do ano pela Rough Trade. Entretanto a música cinemática deste projecto francês tem aparecido em filmes e até numa produção circense, até ressurgir em disco com o mais recente Livity, onde se cruza com influências de psicadelismo tribal e krautrock.

18 jan sáb · 00:00

Restaurante


A noite é muito curta quando a ideia é dançar ao som destas propostas. A pista do Restaurante abre com André Cascais, DJ com vinte anos de experiência iniciada aqui mesmo no Porto (Trintaeum, Urbansound). Entretanto passou cinco anos em Londres, integrando o cartaz de várias edições das festas Secretsundaze. De regresso a Portugal, foi residente do Lux Frágil e tem dado cartas nos mais variados clubes e festivais do país. A noite prossegue com o projecto parisiense Acid Arab, fundado por Guido Minisky e Hervé Carvalho em 2013. A sua fusão de sons orientais de inspiração árabe com o acid house de Chicago dos anos 80 conquistou desde logo a crítica e o público. Desde que lançaram o álbum Musique de France, há três anos, e agora com o novo Jdid, têm percorrido o mundo quer em duo quer juntando instrumentistas às suas actuações. Figura incontornável no panorama internacional da música electrónica, o produtor Étienne de Crécy assinou álbuns de referência como Pansoul (com Philipe Zdar sob o nome Motorbass), Superdiscount, Tempovision e Superdiscount 2 & 3. Fez dezenas de remisturas para artistas como Kraftwerk, Air, Moby ou Lil’ Louis.


Consumo mínimo obrigatório € 10

18 jan sáb · 22:00

Café · Entrada livre


A patologia do quotidiano nas canções de Boris Vian ou a insinuante insolência de Serge Gainsbourg, as suaves e preguiçosas paisagens cantadas por Henri Salvador ou o lugar fundo de onde parecem brotar as palavras de Léo Ferré são alguns dos cenários que este concerto irá ilustrar pela voz de JP Simões. Em seguida, o ambiente sonoro do Café ficará a cargo do coleccionador de vinil DJ Analógico.

A Orquestra Barroca e o Coro Casa da Música apresentam-se ao lado de um dos maiores especialistas no Barroco francês, o maestro Hervé Niquet, fundador do prestigiado agrupamento de música antiga Le Concert Spirituel. Naquela que é a sua estreia na Casa da Música, dirige um programa inteiramente dedicado a um dos maiores mestres da música francesa, Marc-Antoine Charpentier, célebre especialmente pela sua extensa produção vocal. 

19 jan dom · 18:00 

Sala Suggia


Orquestra Barroca Casa da Música

Coro Casa da Música

Hervé Niquet direcção musical 

Obras de Charpentier



21 jan ter · 19:30 

Sala 2


Obras de Beethoven e Ravel


Os seis quartetos op.18 são a primeira incursão de Beethoven no domínio do quarteto de cordas. Na tonalidade de Dó menor, que no compositor alemão tem algo de trágico e inevitável, o Quarteto nº 4 fala-nos em discurso directo e sem grandes rodeios, com uma invenção melódica a lembrar Mozart. Termina com grande virtuosismo ao estilo húngaro, uma rara incursão de Beethoven neste estilo que Haydn tanto apreciava e que viria a ser o alvo favorito de muitos compositores do Romantismo. Escrito um século depois, o único quarteto de Ravel completa este recital do Quarteto de Cordas de Matosinhos numa referência ao Ano França na Casa da Música. 

15 qua 


15 qua 




15 qua 



15 qua 




15 qua 


16 qui 


16 qui 




16 qui 









Ciranda


Rituais Franceses

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Sinfónica 


Concerto de Inauguração

do órgão Jonathan Ayerst


Le Sang d’un Poète

Filme de Jean Cocteau 

com música de Georges Auric  


Flor Batom


Ciranda


Rituais Franceses

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Sinfónica


Te Deum

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Barroca & 

Coro Casa da Música 




16 qui




16 qui 


17 sex 


17 sex 




17 sex





17 sex



17 sex




18 sáb





French Can-Can

Filme de Jean Renoir com 

música de Georges Van Parys 


La Vie en Swing Duo


Ciranda


Rituais Franceses

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Sinfónica 


Te Deum

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Barroca &

Coro Casa da Música


Masterclass de composição

por Philippe Manoury


Fim-de-Semana no Ascensor

Filme de Louis Malle com

música de Miles Davis


Concerto Escolar

Alunos de acordeão de escolas 

do ensino vocacional de música 




18 sáb





18 sáb


18 sáb



19 dom




19 dom


19 dom





19 dom




19 dom


Te Deum

Palestra pré-ensaio e ensaio aberto Orquestra Barroca &

Coro Casa da Música


Ciranda


JP Simões

“Bleu, Blanc, Rouge (et Noir)”


Concerto Escolar

Alunos de acordeão de escolas 

do ensino vocacional de música

 

Ciranda


Jules et Jim

Filme de François Truffaut 

com música de Serge Rezvani interpretada por Jeanne Moreau 


Swimming Pool

Filme de François Ozon com

música de Philippe Rombi