E porque é urgente o amor, sempre, mas sobretudo depois de tanto tempo de clausura e perda de dimensão social nas nossas vidas, elegemo-lo como Tema para a Temporada de 2022. A universalidade deste sentimento, que abre todos os bons caminhos, casa com a da música, na Casa da Música, e fertiliza uma programação de grande diversidade que nos lança o desafio de encontrarmos o outro na música que amamos e nos encontrarmos a nós na música que o outro ama. Sob o signo do amor, iremos revisitar ou descobrir grandes obras escritas ao longo da história, do período Barroco aos nossos dias. Como escreve o director-artístico da Casa, António Jorge Pacheco, no texto de apresentação da Temporada, “Platão dizia que se não se começar pelo amor nunca se saberá o que é a filosofia. Nós acreditamos que se não se começar pelo amor nunca se saberá o que é nada. E muito menos a música”. Sejam, pois, todos bem-vindos ao Ano do Amor.