O Dia Mundial da Música é o símbolo perfeito para o reencontro com esta arte e aqueles que lhe dão palco. Mas esta não é a única data que queremos assinalar em Outubro: nos seus 20 anos, o Remix Ensemble estreia o Requiem de Francesco Filidei; e passaram também 20 anos desde que a Orquestra mais antiga da Casa atingiu a dimensão sinfónica, pelo que apresenta o novo Concerto para orquestra de Daniel Moreira. Festejamos ainda os 250 anos de Beethoven com a sua Sétima Sinfonia pela Orquestra Sinfónica. A vinda de duas estrelas do violino, Diana Tishchenko e Rachel Podger, leva-nos até outras páginas da grande música alemã.

O Ano França faz-se ouvir com Des Canyons aux Étoiles de Olivier Messiaen, contando com a presença do pianista Paulo Álvares sob a direcção de Sylvain Cambreling. E esta será também a altura de voltar à Sala 2 para ouvir música
de câmara.

O festival Outono em Jazz privilegia, este ano, os projectos nacionais ou que têm a sua base em Portugal. E, para as famílias, regressam os muito esperados espectáculos e as oficinas do Serviço Educativo, com todas as precauções necessárias para que a música continue a fazer parte da nossa vida!


A comemoração dos 20 anos da formação sinfónica da Orquestra é uma celebração da própria orquestra e daquilo que só ela nos pode dar. O programa escolhido para este concerto ilustra-o na perfeição. Primeiro, a estreia de uma nova obra de Daniel Moreira que dá voz a vários solistas e cria diálogos entre estes e a orquestra. Na segunda parte, a inconfundível Quinta Sinfonia de Beethoven, que começa com um motivo curto, simples, mas tão intenso que se transformou nos cinco segundos de música sinfónica mais famosos de toda a história. Na verdade, um motivo curto que levou longos anos a gerar e que dá corpo, ele mesmo, a toda a sinfonia. Uma noite de música excepcional a não perder.


02.10 sexta · 21:00 sala suggia

20º Aniversário Orquestra Sinfónica


ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA

BALDUR BRÖNNIMANN direcção musical

WORTEN DIGITÓPIA electrónica


DANIEL MOREIRA Concerto para orquestra

(estreia mundial; encomenda da Casa da Música)

-

LUDWIG VAN BEETHOVEN Sinfonia n.º 5



A nova edição do Outono em Jazz é uma aposta nos projectos criados em Portugal, oferecendo um panorama variado do jazz contemporâneo, como tem sido a marca do festival. O concerto de abertura será o mais internacional entre todos e junta a cantora Maria João ao trio de Pablo Lapidusas, pianista argentino-brasileiro radicado entre nós. Outra voz sonante é a de Salvador Sobral, que se dá a ouvir no seu novo quinteto. As grandes formações estão presentes com a Orquestra Jazz de Matosinhos, homenageando Miles Davis e Gil Evans, e o Coreto Porta Jazz liderado por João Pedro Brandão, um arrojado ensemble que aposta na música original. O último concerto é também uma proposta imperdível a lembrar o Ano França na Casa da Música: o pianista Daniel Bernardes transpõe para o jazz algumas das ideias do grande compositor Olivier Messiaen, contando com a parceria do Drumming Grupo de Percussão.


04-25.10


O aguardado regresso de Rachel Podger à direcção da Orquestra Barroca. A aclamada violinista e maestrina é fundadora e Directora Artística do Brecon Baroque Festival e tem uma carreira artística de altíssimo nível, com dois Gramophone Awards, um Diapason d’Or de l’Année e um prémio da BBC Music Magazine, entre muitos outros. O programa parte da relação próxima entre três compositores incontornáveis do século XVIII: J. S. Bach e Telemann, dois mestres do Barroco, e ainda Carl Philip Emanuel Bach, afilhado de Telemann e uma figura essencial na transição do estilo Galante para o Classicismo. De destacar a célebre Suite n.º 2 de Bach, com uma escrita virtuosística para flauta que, neste concerto, será executada pelo violino de Rachel Podger.


10.10 sábado · 18:00 sala suggia


ORQUESTRA BARROCA CASA DA MÚSICA

RACHEL PODGER violino e direcção musical

PEDRO CASTRO oboé


JOHANN SEBASTIAN BACH Suite n.º 1 para orquestra em Dó maior, BWV 1066

GEORG PHILIPP TELEMANN Sonata em Fá menor, TWV 44:32

CARL PHILIPP EMMANUEL BACH Sinfonia n.º 1 em Sol maior, Wq.182

-

JOHANN SEBASTIAN BACH Suite n.º 2 para violino e orquestra em Lá menor, BWV 1067

GEORG PHILIPP TELEMANN Concerto em Si bemol maior, TWV 44:43

JOHANN SEBASTIAN BACH Duplo concerto para violino e oboé em Dó menor, BWV 1060R



20.10 terça · 19:30 sala suggia

20º Aniversário Remix Ensemble


REMIX ENSEMBLE CASA DA MÚSICA

CORO CASA DA MÚSICA
PETER RUNDEL
direcção musical

PIERRE-LAURENT AIMARD piano

WORTEN DIGITÓPIA electrónica


FRANCESCO FILIDEI Requiem

(estreia mundial; encomenda Casa da Música, Ensemble Intercontemporain e Métaboles)

-

MAGNUS LINDBERG Joy, para ensemble e electrónica

HUGUES DUFOURT L’Origine du Monde,
para piano e ensemble



São 20 anos dedicados a mostrar o que de melhor se faz na música dos nossos dias e as grandes composições do século XX. O Remix Ensemble apresentou já cerca de uma centena de obras em estreia mundial, mas não ficou por aqui: fez as malas e tocou por toda a Europa, afirmando-se como um dos principais ensembles de música contemporânea. No concerto que assinala o seu aniversário, conta com o apoio do Coro Casa da Música para apresentar, uma vez mais, uma estreia mundial: o novo Requiem de Francesco Filidei. A segunda parte do programa inclui música revolucionária nunca antes tocada em Portugal, ligada ao movimento espectralista que floresceu a partir dos anos 70 e deu primazia à beleza das sonoridades e ao culto do timbre. L’Origine du Monde é um concerto que revela pouco interesse por virtuosismos flamejantes do solista, fazendo antes do ensemble uma caixa-de-ressonância do piano. Esta é também uma oportunidade para nos entregarmos ao incrível talento de Pierre-Laurent Aimard, um regresso à Sala Suggia muito aguardado. Pelo meio ouve-se Magnus Lindberg, um dos compositores contemporâneos mais tocados pelas principais orquestras mundiais.