Com a entrada em vigor do novo Estado de Emergência e as regras que dele decorrem, procedemos a ajustes em datas e horas de alguns concertos para garantir que o nosso público deles pudesse desfrutar. Assim, dá-se a curiosidade sempre entusiasmante de o festival À Volta do Barroco encerrar numa sexta-feira 13, com a música genial de Mozart – um momento verdadeiramente a não perder. 

A Orquestra Sinfónica continua a celebrar o Ano Beethoven, desta vez apresentando outra das mais icónicas sinfonias da história: a Pastoral. No final do mês, faz-se acompanhar pelo violinista Martyn Jackson para interpretar a sedutora Tzigane de Ravel e retoma os célebres Quadros de uma Exposição de Mussorgski, alvo de um concerto comentado. 

Não perca ainda as oficinas e os concertos do Serviço Educativo, sempre com humor e estímulo à sensibilidade pela arte.

O festival À Volta do Barroco chega à sua 15ª edição mantendo o princípio que lhe deu forma desde 2005: dar a ouvir a música do Barroco e as composições mais recentes que são produto da influência daquele período histórico. Em dois concertos partilhados, a Orquestra Barroca e o Remix Ensemble cruzam a música de figuras geniais como Bach, Rameau e Rebel com partituras que nos conduzem ao impressionismo francês , através de uma nova versão de La Mer de Debussy, chegando às composições de Phillipe Manoury nunca ouvidas em Portugal. Mas há ainda tempo para escutar uma obra em estreia mundial, encomendada a Nuno Lobo, Jovem Compositor em Residência na Casa da Música em 2020. O festival encerra com a Orquestra Sinfónica dirigida por um dos melhores maestros da actualidade, num concerto inteiramente dedicado à música de Mozart.


Mário João Alves, com o seu colectivo Ópera Isto, tem sido um colaborador regular do Serviço Educativo na produção de espectáculos originais que habitualmente inauguram cada nova temporada. O Olho Esquerdo de Júlio Verne abriu o Ano França e antes do seu fim apresentamos este excelente espectáculo que nos traz música do tempo de Júlio Verne, inclusivamente de operetas em que ele foi o libretista, e nos dispõe muito bem, usando o humor como base de toda esta história.   


14.11 sábado · 11:00 sala 2

Serviço Educativo


MÁRIO JOÃO ALVES concepção e direcção artística

ÓPERA ISTO co-produção



A Sinfonia n.º 6 de Beethoven foi escrita em 1808 como uma evocação da Natureza e da vida campestre, espelhando as imagens e os estados de espírito que a elas associamos. Ao longo de cinco andamentos, evoca o despertar de sentimentos de alegria pela chegada ao campo, um episódio junto a um riacho, uma alegre reunião das gentes do campo e uma violenta tempestade seguida de um cântico pastoril de acção de graças. Do outro lado do espelho, porém, a Sinfonia Pastoral de Brett Dean, composta na viragem para o nosso século, avisa-nos “sobre o glorioso canto dos pássaros, a ameaça que enfrenta, a perda e o ruído sem alma que restará quando todos eles desaparecerem”.


20.11 sábado · 19:30 sala suggia

Integral das Sinfonias de Beethoven


ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA

PABLO RUS BROSETA direcção musical


BRETT DEAN Sinfonia Pastoral (estreia em Portugal)

LUDWIG VAN BEETHOVEN Sinfonia n.º 6, "Pastoral"



O poder de sedução do violino atravessa irresistivelmente Tzigane de Ravel, uma peça repleta de exigências para o solista e que se revela como uma visita aos grandes virtuosos românticos. A rapsódia chega-nos pelas mãos de Martyn Jackson, membro recente do mais antigo ensemble de câmara britânico, o prestigiado Allegri Quartet. A noite inicia-se com um mestre da arte da orquestração, Schreker, e uma obra que surpreende pelas sonoridades sinfónicas de grande expressividade que consegue extrair de uma orquestra de câmara. O programa completa-se com uma célebre obra russa que, embora escrita para piano, tem uma capacidade de sugestão tão forte que deu origem a inúmeras orquestrações. Neste museu imaginado por Mussorgski e pintado com um arranjo de Walter Goehr, estão expostos os Quadros de uma Exposição mas também o estado de espírito do visitante que percorre as diferentes salas e se debruça sobre pinturas e desenhos.


27.11 sexta · 19:30 sala suggia


ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA
BALDUR BRÖNNIMANN direcção musical

MARTYN JACKSON violino


FRANZ SCHREKER Sinfonia de Câmara

MAURICE RAVEL Tzigane

MODEST MUSSORGSKI/WALTER GOEHR Quadros de uma Exposição