No mês de Junho, a Casa da Música agita-se com Pussy Riot – o colectivo punk feminista foragido da Rússia –, celebra a criatividade sem fim de Hermeto Pascoal e apresenta a última digressão da voz inconfundível de Milton Nascimento. Festeja também o São João, em dose tripla, com a Banda Sinfónica Portuguesa, Chico da Tina e Rodrigo Affreixo, e volta aos palcos ao ar livre da área metropolitana para duas noites em Vila Nova de Gaia – com concertos do Coro Infantil Casa da Música e da Orquestra Sinfónica. É ainda tempo de voltar a ouvir os talentos do violoncelo, numa série de recitais que põem à prova os candidatos ao ambicionado Prémio Internacional Suggia. O regresso da violinista Carolin Widmann ao palco da Sala Suggia leva a Orquestra Sinfónica às fascinantes partituras da Compositora em Residência deste ano, a britânica Rebecca Saunders, num programa que nos traz também música inesquecível de Debussy (La mer) e Benjamin Britten (Sinfonia da Requiem).

Um novo capítulo do Ciclo Grandes Concertos Duplos é pretexto para ouvirmos Mozart e o seu Concerto para flauta e harpa, com protagonismo reservado para dois dos solistas da Orquestra Sinfónica – um programa que termina com o brilhante Poema do Êxtase de Scriabin. Mozart é também, ao lado de Chostakovitch e de uma obra do português Telmo Marques, a proposta do Quarteto de Cordas de Matosinhos para o recital que marca o seu regresso à Sala 2. Não perca ainda as noites na Esplanada, com nomes como Budda Power Blues ou Júlia Vargas, e as inúmeras actividades musicais para as famílias.

Hermeto Pascoal é música. Icónico compositor e multi-instrumentista brasileiro, de Lagoa da Canoa, ganhou dois Grammys Latinos e formou importantes grupos ao longo da carreira, entre eles o Quarteto Novo (1967), o Brazilian Octopus (1969) e o seu Grupo, que o acompanha desde o final dos anos 1970. Compositor compulsivo com mais de 10 mil músicas escritas, carinhosamente apelidado de Bruxo dos Sons, toca como se brincasse com a sonoridade de cada um dos seus instrumentos — teclado, piano, flauta baixo, melódica, sanfona, porcos, chaleira, berrante e tantos outros. A verdade é que poucos músicos alcançaram a sua estatura, um verdadeiro maestro e um ícone da cultura brasileira. Hermeto apresenta-se em palcos de todo o mundo com o seu Grupo, a tradicional “Nave Mãe” que ajudou a impulsionar a carreira de grandes instrumentistas da música brasileira. Actualmente, o grupo é formado por Itiberê Zwarg (baixo), Jota P. (saxofones e flautas), Fábio Pascoal (percussão), André Marques (piano) e Ajurinã Zwarg (bateria). Uma experiência sensorial indescritível, inesquecível e sem contraindicações.

Foi há dez anos que as Pussy Riot surpreenderam o mundo, ao serem presas por actuarem na Catedral de Cristo Salvador, em Moscovo, escandalizando a Igreja Ortodoxa, cujo apoio a Putin já haviam denunciado. Três jovens deste colectivo russo de arte e protesto foram acusadas de "hooliganismo motivado por ódio religioso", tendo Yekaterina Samutsevich sido libertada ao fim de um par de meses, enquanto Nadezhda Tolokonnikova e Maria Alyokhina permanceriam quase dois anos atrás das grades. O processo teve repercussões a nível mundial e gerou um fenómeno de popularidade. Pelo tempo fora o grupo foi gravando vários vídeos, sempre com carga política e numa atitude de guerrilha punk rock ("Putin Will Teach You To Love The Motherland", "I Can't Breathe", "Organs" ou "Make America Great Again", entre outros), além de se desdobrar em performances, conferências, concertos e espectáculos teatrais. O conflito na Ucrânia será por certo um tema escaldante da aguardada estreia das Pussy Riot na Casa da Música.

Na noite de S. João, em que a festa toma conta da cidade, a Casa da Música lança achas para a fogueira com dois concertos de entrada livre, um a cargo da Banda Sinfónica Portuguesa e outro pela mão de um dos fenómenos hip hop do momento: Chico da Tina. E se aquela se apresenta, como habitualmente, na Sala Suggia, com um programa festivo adequado à ocasião, este faz história, pisando pela primeira vez um Cais de Carga transformado em palco, virado para o lado poente da Praceta, onde se espera a presença de uma multidão. Mas ainda antes, na esplanada, há música portuguesa da mais dançável, disparada pelo DJ Rodrigo Affreixo. Quem quiser calibrar o espírito de acordo com a festa e avançar à martelada pela noite dentro tem aqui o programa ideal, diverso e em crescendo. A seguir, cada um está por sua conta.

O calor do Verão dá o mote para o regresso aos concertos fora de Casa. A Casa da Música, a Câmara Municipal de Gaia e o ArrábidaShopping reúnem forças para oferecer dois concertos à cidade de Vila Nova de Gaia. O Coro Infantil, o agrupamento residente mais recente da Casa da Música, inaugura a ocasião para apresentar o trabalho desenvolvido ao longo do ano lectivo, assinalando o início das tão desejadas férias de Verão. Sob a direcção de Bastien Stil, segue-se o regresso da Orquestra Sinfónica aos concertos de entrada livre, fazendo ecoar pela noite os feitiços sugeridos pelas partituras de compositores de várias épocas.

Para aproveitar as noites quentes do Verão que já se aproxima a passos largos, a esplanada do Café torna-se palco para bandas e projectos dos mais diversos estilos. A quarta-feira é reservada para mostrar os jovens talentos das escolas de música do Porto e arredores, apresentando projectos ligados à música erudita mas também ao jazz. Às quintas e sextas o leque ecléctico de propostas traz o folk, a pop e o blues nacional com nomes como Golden Slumbers, PZ ou Budda Power Blues, mas ouvem-se também representantes da música mais recente vinda do Brasil com Alice Caymmi e Júlia Vargas. Na noite mais festiva do ano, a esplanada torna-se parte da alegria que contagia a cidade, dando o palco a Rodrigo Affreixo para nos levar a viajar num set recheado de música portuguesa para dançar, como pede a ocasião.