O Verão faz-se sempre também de música, dentro e fora das paredes desta Casa. A Orquestra Sinfónica apresenta neste mês uma agenda de concertos que se revelará tanto apelativa quando de elevado interesse artístico, com maestros convidados como o venezuelano CARLOS IZCARAY e os portugueses ABEL PEREIRA, NUNO COELHO E DIOGO COSTA. Os palcos são a Sala Suggia e as cidades da Maia e de Vila Nova de Gaia. A esta última, a Casa da Música leva também uma nova ópera infantil em que os protagonistas são as crianças que a ajudaram a criar num projecto especial que decorreu ao longo do ano escolar.

A BANDA SINFÓNICA PORTUGUESA e o QUARTETO DE CORDAS DE MATOSINHOS juntam-se também à programação de Julho: a primeira traz à Sala Suggia uma nova obra do maestro Luís Carvalho escrita para o clarinetista HORÁCIO FERREIRA (precisamente os intérpretes que estarão em palco) e o segundo regressa à Sala 2 com um recital preenchido por Beethoven. Outros convidados são a ORQUESTRA XXI, a cantora de jazz CHINA MOSES, os acordeonistas laureados do FOLEFEST, os pianistas concorrentes do CONCURSO INTERNACIONAL SANTA CECÍLIA e, claro, as divertidas personagens que povoam de imaginação as actividades para os mais novos.

Suggia


ORQUESTRA SINFÓNICA DO PORTO CASA DA MÚSICA

CARLOS IZCARAY direcção musical


SILVESTRE REVUELTAS Ocho por radio; Homenaje a Federico Garcia Lorca

IGOR STRAVINSKI Concerto em Mi bemol, Dumbarton Oaks

ALBERTO GINASTERA Variações concertantes, op. 23


O maestro venezuelano Carlos Izcaray dirige um programa inteiramente dedicado ao continente americano. Se o argentino Alberto Ginastera nos traz a nostalgia das grandes melodias enriquecidas pelo virtuosismo orquestral, já o mexicano Silvestre Revueltas volta-se para os ritmos de dança do caribe, com uma linguagem atractiva e bem-humorada que suscitou comparações com Stravinski. O compositor russo, por sua vez, viveu três décadas nos Estados Unidos e escreveu o concerto Dumbarton Oaks para o 30.º aniversário de casamento dos Bliss, um dos mais famosos casais de filantropos da história do país. Um concerto pleno de grandes solos para os mais diversos instrumentos da orquestra e onde a componente rítmica tem um efeito verdadeiramente contagiante.

A Casa da Música, a Câmara Municipal de Gaia e o ArrábidaShopping oferecem dois concertos de entrada livre à cidade de Vila Nova de Gaia. A primeira noite traz a estreia de uma nova ópera em que são protagonistas as crianças de várias escolas do concelho, um projecto especial desenvolvido ao longo do ano lectivo com a coordenação artística do Serviço Educativo da Casa da Música. Segue-se o regresso da Orquestra Sinfónica aos concertos ao ar livre, com um alinhamento marcado pela influência de danças populares de vários idiomas, sob a direcção do conceituado maestro venezuelano Carlos Izcaray.

LEVANTAMENTO OBRIGATÓRIO DE PULSEIRAS NA CÂMARA MUNICIPAL DE GAIA, ARRÁBIDA SHOPPING E CASA DA MÚSICA, ATÉ UM MÁXIMO DE 2 POR PESSOA. DISPONÍVEIS A PARTIR DE 03 DE JULHO.

JOSÉ EDUARDO GOMES direcção musical

ALUNOS DE AGRUPAMENTOS ESCOLARES DE GAIA E ENSEMBLE


Tic-Tac-Punfffffffff! (estreia mundial)

Ópera infantil

Música de TELMO MARQUES

Libreto de MÁRIO JOÃO ALVES


Ao longo dos últimos dois anos, cerca de 500 crianças de vários agrupamentos de escolas de Vila Nova de Gaia tiveram a oportunidade de criar as suas próprias óperas de autoria colectiva, com a orientação de formadores do Serviço Educativo da Casa da Música. Nesta noite, todos aqueles que participaram no projecto A Minha Companhia de Ópera em 2020/21 assinalam o final do ano lectivo com a estreia da nova ópera infantil Tic-Tac-Punfffffffff! O libreto, assinado por Mário João Alves, nasceu no seguimento de oficinas de escrita criativa que o tenor/escritor realizou com os alunos. Com música do compositor portuense Telmo Marques, este promete ser um espectáculo inesquecível para todos, estejam no palco ou na plateia. A Minha Companhia de Ópera é uma iniciativa integrada no projecto 1 por tod@s Gaia, promovido pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e pela Leque – Associação de Pais e Amigos de Pessoas com Necessidades Especiais.

CARLOS IZCARAY direcção musical


WOLFGANG AMADEUS MOZART Abertura de ‘A Flauta Mágica’

JOHANN STRAUSS II Valsa do Imperador, op. 437

AMBROISE THOMAS Abertura de ‘La Cour de Célimène’

ZOLTÁN KODÁLY Danças de Galanta

ASTOR PIAZZOLLA Tangazo

PIOTR TCHAIKOVSKI Polonaise de ‘Eugene Onegin’


A Orquestra Sinfónica regressa ao ArrábidaShopping com páginas magníficas de música que prometem fazer brilhar esta noite de Verão. A elegância clássica de Mozart dá o mote, com a abertura da sua célebre ópera A Flauta Mágica, num alinhamento que termina com o ritmo imparável de uma Polonaise de Tchaikovski e passa por uma das mais conhecidas valsas de Strauss. O programa inspira-se em várias tradições para nos trazer danças apaixonadas como o tango argentino ou o verbunkos cigano da Hungria, oferecendo ainda a oportunidade de ouvir a belíssima abertura de uma ópera francesa que esteve perdida durante 150 anos até ser redescoberta em pleno século XXI. Um concerto dirigido pelo premiado maestro venezuelano Carlos Izcaray, director musical da Sinfónica do Alabama.

serviço educativo · os nossos concertos (> 6 anos)

Concertos de violoncelo por alunos de escolas vocacionais de música


É mais uma celebração e é mais um momento em que alunos do ensino vocacional de música expõem o seu talento. A cada ano, a maratona é participada por várias dezenas violoncelistas, quer a solo quer em pequenos agrupamentos, quer mesmo em grandes ensembles. Em 2021 aguardamos igualmente uma participação escolar forte e apaixonada, desta vez em formato vídeo transmitido na internet.

DIOGO COSTA direcção musical

GIUSEPPE VERDI Abertura de A Força do Destino

PIOTR TCHAIKOVSKI Polonaise de Eugene Onegin

CARL MARIA VON WEBER Abertura de O Franco-Atirador

EDWARD ELGAR Salut d’amour

FRANZ VON SUPPÉ Abertura de Cavalaria Ligeira

JOHANN STRAUSS II Abertura de O Barão Cigano

DARIUS MILHAUD O Boi no Telhado


As aberturas de ópera são uma espécie de cartão-de-visita de muitos dos compositores mais inventivos da história. É naqueles momentos iniciais, sem a ajuda do enredo, que a música tem o papel de absorver o ouvinte, expectante na plateia, e de o preparar para o drama que se vai desenrolar em palco. Neste concerto, a Orquestra Sinfónica leva ao público da Maia um programa com várias aberturas que se destacaram ao longo do século XIX, tão atractivas que ainda hoje são apresentadas em concerto por orquestras de todo o mundo. Não menos encantadoras são as restantes peças incluídas neste programa: Salut d’amour, uma autêntica carta de amor que Elgar ofereceu à sua futura mulher como prenda de noivado, e O Boi no Telhado, uma homenagem à música popular brasileira sob a forma de um desfile de tangos, maxixes e sambas centenários reunidos por Milhaud em 1920.

LEVANTAMENTO OBRIGATÓRIO DE PULSEIRAS NO FÓRUM DA MAIA E CASA DA MÚSICA, NO MÁXIMO DE 2 POR PESSOA. DISPONÍVEIS A PARTIR DE 05 DE JULHO.