Na noite de S. João, em que a festa toma conta da cidade, a Casa da Música lança achas para a fogueira com dois concertos de entrada livre, um a cargo da Banda Sinfónica Portuguesa e outro pela mão de um dos fenómenos hip hop do momento: Chico da Tina. E se aquela se apresenta, como habitualmente, na Sala Suggia, com um programa festivo adequado à ocasião, este faz história, pisando pela primeira vez um Cais de Carga transformado em palco, virado para o lado poente da Praceta, onde se espera a presença de uma multidão. Quem quiser calibrar o espírito de acordo com a festa e avançar à martelada pela noite dentro tem aqui o programa ideal, diverso e em crescendo. A seguir, cada um está por sua conta.

Um dos principais nomes do jornalismo cultural a Norte nas décadas de 80 e 90, Rodrigo Affreixo começou a pôr música em 1999, tendo até agora actuado em mais de 40 locais do país. Enquanto DJ, criou as noites temáticas “80” (1999), “Chocolate Preto” (2000), “Super Cock/LusoPop” (2001) e “Disco Heavy” (2003). Investigador e coleccionador de música popular portuguesa, organizou a compilação LusoPop (iPlay, 2008) e, nesse âmbito, tem vindo a animar as noites de São João na Casa da Música. Cultiva uma visão da música de dança como um contínuo, privilegiando a intimidade primordial entre música negra, disco e house. Actualmente integra a equipa do futuro Batalha Centro de Cinema e ainda mantém uma residência mensal como DJ na festa Gigi, no Plano B.


BANDA SINFÓNICA PORTUGUESA

FRANCISCO FERREIRA direcção musical

ANTÓNIO SAIOTE clarinete


NIKOLAI RIMSKI-KORSAKOFF (arr. FRANK WINTTERBOTTOM) Capriccio espagnol

OSCAR NAVARRO Concerto n. º 2 para clarinete

DUARTE PESTANA Arco Íris


Presença habitual no São João da Casa da Música, a Banda Sinfónica Portuguesa apresenta-se no palco da Sala Suggia com um concerto festivo que assinala o regresso da noite mais longa do ano da Invicta. Da exuberância da música espanhola, que inspirou os compositores Rimski-Korsakoff e Oscar Navarro, ao fascínio de Chostakovitch pelo jazz, o programa percorre o colorido das tradições de raiz popular e encerra com uma peça icónica do repertório português: Arco Íris de Duarte Pestana. Sob a direcção do seu maestro titular Francisco Ferreira, a Banda Sinfónica partilha o palco com António Saiote, clarinetista e pedagogo português aclamado internacionalmente.

Francisco da Concertina, aka Chico da Tina, é um artista e trovador português que tem ganho grande notoriedade desde que, em 2019, lançou no Youtube o tema “Põe-te Fino”, um trap com a sua concertina e castanholas. Rapidamente este single do EP Trapalhadas se tornou viral, registando mais de dois milhões de visualizações. Ainda no mesmo ano, o músico de Viana do Castelo editou o álbum Minho Trapstar, com faixas repletas de letras críticas e caricaturais, combinando de forma inovadora o trap, a concertina e as gírias regionais. A partir daí, Chico da Tina assinou contrato com a Sony Music Portugal e tornou-se na mais representativa e original trapstar portuguesa. A 21 de Outubro último, lançou “Nós Pimba”, single de apresentação do álbum E Agora Como É Que É, o seu segundo registo longa-duração, com base no qual deu já concertos esgotados na Super Bock Arena e na Sala Tejo da Altice Arena.